Anorexia: A Síndrome do Feminino Reprimido

Nossa cultura ocidental é masculina, fácil de deduzir que esse inconsciente coletivo cultural exerce uma forte influência na formação da personalidade das mulheres.

Padrões comportamentais próprios dessa cultura consumista, ditados para atender o interesse do masculino, influenciam para que as mulheres reprimam sua natureza genuinamente feminina, distanciando-as de seus instintos.

Instintos são atitudes inatas do comportamento, que conduzem a um determinado direcionamento de percepção. O cerne do instinto é uma reação emocional, uma propensão natural, contrária ao determinismo cultural. Quando o que é sugerido pela cultura (masculina) ganha dominância quase que exclusiva, instala-se o que estamos denominando como Síndrome do Feminino Reprimido.

Uma de suas manifestações são os transtornos alimentares, como a anorexia, instalados com a finalidade de cumprir o que determina o padrão estético-corporal idealizado por determinada cultura. Trabalhar a conscientização dessa natureza feminina reprimida, que pede acolhimento pelo inconsciente, é uma abordagem fundamental na correção dos transtornos alimentares femininos de causa psicogênica.

Se você se identificou com esse post e gostaria de marcar uma consulta para conversar sobre o problema, acesse a página CONTATOS e envie uma mensagem.